Thursday, June 19, 2008

MICHELINY VERUNSCHK

















Mencionada por:
Ademir Assunção
Cláudia Roquette-Pinto
Cadão Volpato



Menciona:

Ana Rüsche
Delmo Montenegro
Edson Cruz
Wilson NaniniDaniel Sampaio
Weydson Barros




POEMAS (do livro inédito A Cartografia da Noite)



Tróia

Toda saudade
repousa nas palavras,
tem cheiro de pinho
e ossos muito brancos.
Toda saudade:
velas arreadas
dos mastros dos batéis,
última visão da chama apagando,
canção de helenas nuas
perdida nos lábios de Ílion.
Em tudo,
o teu nome de pedra,
Saudade,
cadela morta.





A Barata

A barata
tensa
atônita
atenta
frente a folha
pegajosa do poema.
Um calafrio quase
na carapaça dura
e o poema agridoce
acenando
acendendo
dentro da madrugada escura.

O dia nasce
parindo um novo solstício
e ela, impressa,
presa no poema-suícidio.





O Leão

Flor carnívora,
ele aquece a paisagem:
sol sobre cinzas
salsugem.
Apenas uma carícia
cabe no seu nome,
faro aceso
a contrapelo,
e uma mulher de luz
......................................(borboleta tumescente)
chupa-lhe o mastro.
Simétrico
e circular
o seu rugido
fere tulipas,
pequenos coleópteros,
enche copos, cálices, calas.
Ácido e doce
amamenta
todas as suas fêmeas.
Depois dorme,
cidade inexistente.




BIO/BIBLIOGRAFIA
Micheliny Verunschk, nasceu em Recife, Pernambuco. Publicou os livros Geografia Íntima do Deserto, Landy Editora, SãoPaulo, 2003 (poesia) e O Observador e o Nada, Edições Bagaço, Pernambuco, 2003 (poesia). Foi indicada ao Prêmio PortugalTelecom de Literatura-2004. Entre os 10 finalistas foi a única mulher, única estreante e também a mais jovem. Tem trabalhospublicados nas revistas Cult, L’Ordinaire Latino American (França), Poesia Sempre, Cacto, Coyote, Oroboro, Vallum:contemporary poetry (Canadá), Rattapalax (EUA), entre outras.





POÉTICA


"Existir como quem se arrisca"
...........................João Cabral de Melo Neto)

Poesia é a minha percepção e o meu diálogo com o real, o meu risco de cada dia, o meu pão. Marca de nascença que foi construída muito depois do nascimento. Única forma de estar no mundo.

1 comment:

Mirze Souza said...

Micheliny!

Por várias razões, sou sua admiradora.

Sua poesia é clara. Não há lado obtuso.

Sua formação e crescimento se vê a cada poema!
Parabéns!

Mirze