Saturday, October 20, 2007



anéis



quero alegria pro poema
mas os versos saem em mi


tento decorar as penas
estão desbotadas


todas as cores
vejo em preto e branco


canto para esquecer
a grande confusão das coisas simples


não sei de que material seco são feitas
as perdas.


broches

aproxima-se o desconhecido
e junto dele a gritaria
dos grandes começos

ainda não sabe dizer
com quantas rouquidões
se faz um recuo

por isso o silêncio e a tosse
infalível técnica
de disfarces.


brincos

o medo amarela
os dentes corrói
todas as tentativas
de nomeá-lo

nada nos assegura
nem ninguém poderá
nos defender: estamos vivos

e se do paraíso estamos longe
cada vez mais longe quero viver
distante, muito distante
do que só é possível no papel.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


MINIBIO
Bruna Beber tem 23 anos, é carioca, mas vive em SP há dois meses. Formou-se em Comunicação Social (Publicidade) em 2005, e trabalhou como redatora publicitária, jornalista e tradutora. Também já trabalhou com pesquisa, produção e revisão de conteúdo para livros e fez roteiros para a TV Futura. Hoje trabalha no departamento de Internet (Websurfing) de uma agência de Marketing de Guerrilha.
Publicou, em 2006, seu livro de estréia, A fila sem fim dos demônios descontentes (esgotado), pela Ed. 7 Letras. Colaborou com diversos sites e revistas impressas de literatura, poesia, música e Internet: Portal Literal, Paralelos (revista virtual e blog), Bala, Escritoras Suicidas, A Máquina do Mundo, Latin.Log, Capricho e Entrelivros.
Já teve seus poemas publicados na Alemanha, Argentina e México. Edita o blog Bife Sujo ( http://badtrip.com.br/bifesujo/) e o poetrycast Mike.
Os poemas acima estão no seu próximo livro - Balés - ainda sem data de publicação.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

POÉTICA

Movimento.


:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

5 comments:

Lucas Nicolato said...

boa surpresa ver seus poemas por aqui, bruna. parabéns.

marcelo noah said...

dos poemas eu não sei direito, mas é gatinha essa bruna!

mercedes said...

acho que escrever certo tipo de poemas soa anacrônico...

Raphael Grizotte said...

Adoro isso estou sempre esperando uma outra palavra,eles são do tipo que lemos sem parar Há meus parabéns.

guY said...

como dizia o Roberto Piva, uma perfeita Beatnick! posso me aproximar? prometo não alterar a cena do crime, apenas perícia..rs

Away ! rs

abraço, sucesso!