Thursday, August 31, 2006

BIANCA LAFROY



mencionada por:

Ricardo Corona


menciona a:

Dennis Radünz
Glauco Mattoso
Joca Reiners Terron
Michel Melamed
Wilson Bueno
Augusto de Campos





poemas:



Transformar,
descategorizar a intuição.
Entre intro e extro,
inverter, subverter
a percepção dos sentidos.
Acariciar objetos e
desejar (apenas desejar)
que estampem outras cores
e formas. O dentro,
fora. As filhas,
ao não terem sempre a semelhança MATERNA,
consomem em seus rostos
a profanação de seu pai.






a
BRANQUÉRRIMA pele fina e
sem pêlo do ex-hermafrodita
à POLAQUINHA de utilidade pública
– face fácil para a saliva espessa
do celibato.

Por qué seremos tan perversas, tan mezquinas
(tan derramadas, tan abiertas)
y abriremos la puerta de la calle al
monstruo que mora en las esquinas, o
sea el cielo como
una explosión de vaselina
(...)
por qué seremos tan despatarradas, tan obesas
sorbiendo en lentas aspiraciones el zumo de las noches
peligrosas
tan entregadas, tan masoquistas, tan
(...)





Faça sua oração ao buda
esculpido no ecstasy .
Vire a página.
Ela saberá
tirar proveito
da sua lordose
no VENTRE
JESUS.







Em si mesmo,
em seus órgãos que eu imaginava elementares
mas de tecidos sólidos
e de vislumbres matizados
muito belos,
nas TRIPAS QUENTES E GENEROSAS,
eu acreditava que ele elaborava sua vontade de impor,
de aplicar,
de torná-las visíveis,
A hipocrisia,
A besteira,
A maldade,
A crueldade,
A servilidade
e de obter na sua pessoa inteira o mais obsceno êxito.






Mesmo à paisana
(do lar, solar) quando
saio às ruas
vou a lugares de bem
(supermercado, lanchonete, shopping)
sou reconhecido
(a).

As famílias miram olhos de fuzis.
Homem-silicone
à luz do dia azul.

Sabem quem amarra
seus crocodilos sorridentes
com o fino e frágil fio
que segura minha moral.

Que pai suportaria a luz do sol
caso fosse revelado
o gemido do toque
desse LÁBIO LEPORINO
em seus freios
?






O tomate
A fruta

penso que não deveria ser
comida como salada e molho.

Perceba o som (distante)
da QUEDA de um prato
que não se quebrou.

Saiba que é louça
(ele dirá que é plástico).







SEM QUERER cruzo uma linha e ouço:

“Não foi por nada que David Wark Griffith,
um dos maiores cineastas hollywoodianos
do início do século, afirmou, acerca do ensino de História:
‘chegará o momento em que nas escolas se ensinará
praticamente tudo às crianças através de filmes’”

aí ouço o que ela também ouve:

“John Cage
disse que a existência da aids forçará a classe média
que detém o poder da informação
a patrocinar educação sexual para os pobres.”

“A aids elevou o preço do sexo oral”
(agora sou eu que estou do lado de cá)



Do livro-poema Embrulho líquido (a sair pela Editora Lumme)


bio/biblio

BIANCA LAFROY nasceu em 1975 em Curitiba (PR). É poeta e ficcionista. Abandonou o curso de jornalismo no terceiro ano e ganha a vida como travesti nas ruas de Curitiba.


poética

Tenho uma dificuldade imensa de discernir entre vida e arte. Não sei o que é poesia, isoladamente. Por isso, envio três respostas (e três perguntas) que já dei:

Quando você optou pela literatura em sua vida?
Quando entendi que um dos desdobramentos da literatura é a desconstrução da vida real. A minha vida, feito a literatura, jamais pertencerá à realidade. Ao me transformar no que sou, um travesti que vende o próprio corpo para celibatários e anjos gozosos, também sou um ser borgeano, no sentido de que tudo é ficção. O que não significa que a literatura seja o mundo possível.
A poesia é questão de preferência ou necessidade artística?
Talvez porque tenha lido mais prosa e minha história de vida seja mesmo transbordante, a minha poesia parece nascer daquele vacilo da prosa, ou melhor, daquele momento em que a prosa se transforma em poesia. É como se a minha poesia estivesse na crista da prosa. Apesar de eu não me considerar escritora, só poeta. O fato é que não consigo separar preferência e necessidade.
Você é uma profissional do sexo por opção ou necessidade?
Optei por este trabalho por puro prazer. Mas claro que também ganho dinheiro com esta “atividade”. Ela sustenta a escritora que quero ser. Mas poderia ter sido jornalista. Só não sei se poderia ter sido as duas coisas. Imagine um travesti que é também jornalista? Já como escritora eu tenho como fundir prazer e texto.





1 comment:

dionisios ditirambicos said...

O ar mais propício para nascer-branca
não era - não é hoje - como disse Bataille - ânus solar versus solar...
A Torre da Morte se ergue e se deita-desconfortavel
já se vê de todos os plateou
não haverá semelhante - andar.