Monday, September 25, 2006

GRETA BENITEZ


mencionada por
Rodrigo de Souza Leão


menciona a
(apenas indiquei quem não estava ainda)Frederico Barbosa
Marília Kubota
Márcio Davie Claudino
André Aguiar
Alice Ruiz



poemas


Engarrafamento

Trânsito parado
a namorada do alcoólatra
de olho roxo
cantando contente
no carro ao lado.
Mais à frente
a mãe indiferente
à guerra das crianças
no banco de trás.
Logo atrás
um pálido em pânico
reza ao volante sagrado
suando agarrado a ele
como se fosse seu salvador.
Do lado de lá
a moça que tem uma porca
com colar de pérolas tatuada no braço
escuta músicas jamais compostas
em um cd imaginário, inexistente.
Assim ela esquece seu cansaço
assim como a doce febre que sente.
Em helicóptero, na TV, visto do alto
engarrafamento, trânsito lento
é apenas belo bordado
de carros no asfalto quente.
--

Ameaça
Venha a mim
Aproveite que a chuva ficou mais forte
E confie mais na sua sorte
Perceba que a luz ficou mais fraca
Aqui entre nós
Espera sem fim
Venha a mim
Antes que eu queira usar a faca


Águia

Tenho tudo de que preciso.
Portanto
minha asa esquerda serve de trono
para um imenso rei indeciso.
Sendo um ser sem necessidade de chão
minhas garras carregam comida
para a multidão.
Somos feitos de ternura e perplexidade
e as espalhamos com prazer
sobre cada nova cidade.


Greta Benitez





bio/biblio
Greta Benitez nasceu em Curitiba em 1971, onde aprendeu a gostar do clima invernal. É formada em publicidade e pós-graduada em marketing. Já ganhou inúmeros prêmios em vários estados do Brasil além de ter textos editados em várias revistas, como Oroboro e ETC. Em 1999 lançou o livro de poemas Rosas Embutidas (edição do autor), atualmente esgotado e no momento providencia o lançamento de Café Expresso Blakcbird.
www.geocities.com/gretabenitez



poética
Poesia é transformar flores em gatos. Insetos em dragões. Horror em maravilha. Poesia é alquimia.

2 comments:

diniz said...

Gosto do seu trabalho , conheci no livro da heloisa burque , vou linkar seu blog

abraço

jessé barbosa de oliveira said...

bem, a sua poesia é provida
da fluência caótica que eiva e norteia o cotidiano urbano
ao mostrar visceralmente a dinâmica de seu drama,
presente, para mim, no poema engarrafamento. além do mais,
um sentido de busca por liberdade
sensorial me parece caminhar pelas
alamedas da sua poesia.