Monday, September 04, 2006

ESTRELA LEMINSKI




mencionada por:Ricardo Corona

menciona a:
Alice Ruiz
Luci Collin
Makely Ka
Nicolas Behr
Marcelo Sahea
Bruno Brum
Renato Negrão
Amarildo Anzolin
Marcelo Ferrari
Gloria Kirinus
Wilson Bueno
Ale Brito
Ricardo Silvestrin






poemas:
Eu edito mas não é inédito
Eu medito mas sempre sou cético
Eu acredito mas não me dão crédito
Eu me medico mas não tenho remédio
Eu me dedico mas não é nada sério
Eu implico mas não sou cego
Eu sou todo ouvidos mas não ouço estéreo
Eu pago mico mas não nego
Eu tenho siricotico mas não lembro do telecoteco
Eu sempre sigo mas não estou nem perto
Eu sou o meu mistério


--------------------
Dentro de mim mora um monstro
um monstro que come pedra e arrasta correntes
um monstro que não dorme
que quando quer sair faz muito estrago
dizem que é parente daquele do lago
mas não tem ninguém que fale sua língua
já nasceu extinta
basta uma palavra e pronto
já fica enfurecido o meu monstro
a um ponto que não tem quem demonstre
nunca vi uma raiva sem fundo
esse monstro
tem a fome do mundo


----------------------------
que troço esquisito
que começa com para sempre
atravessa até que a morte nos separe
e termina com preferia nunca ter te conhecido?


----------------------------------------

bio/biblio

Estrela Leminski, pisciana legítima, nasceu em 1981 em Curitiba, e escreve desde os 6 anos de idade. Publicou poemas no "Jornal Blocos", "Revista de Autofagia", Revista ET CETERA, Poesia Sempre, contos no "Jornal Nicolau", e assinou uma coluna semanal de crônicas no encarte cultural "Viva Curitiba" do jornal "Folha de Londrina". Trabalhou na Rádio Educativa do Paraná em pesquisa, pauta e produção, e hoje é professora de musicalização infantil. Estudou Música na Faculdade de Artes do Paraná (graduação em licenciatura e pós-graduação em Música Popular Brasileira), compõe e toca bateria. Foi uma das idealizadoras do projeto "Independência ou Sorte" que promove shows, palestras e um intercâmbio cultural entre compositores independentes e é integrante do grupo "Casca de Nós". Em 2006 lança dois CDS, Música de Ruiz (canções dela e de Téo Ruiz) e o Tudo tem recheio (com a banda Casca de Nós). Publicou o livro de poesias Cupido: cuspido, escarrado (2004) pela editora gaúcha ameopoema, sobre música independente Contra-Indústria (2006, em co-autoria com Téo Ruiz) pela editora mineira Selo editorial, e está no prelo o de poesias e contos Atire o poeta ao mar, com previsão de lançamento para 2007.


poética
“Poesia é a trangressão da realidade.” Estrela Leminski

6 comments:

Makely said...

Ótima iniciativa Aníbal! Onde encontro coisas suas?

Abraços

Aníbal Cristobo said...

Obrigado Makely. Em breve estarei te escrevendo para te pedir o material pro blog. Coisas minhas tem no blog da argentina -veja nos links- e tem um livro no Brasil -miniaturas kinêticas, pela cosacnaify - abraços,
a.-

Anonymous said...

Estrelinha, Estrelinha, paixão de my life,
que lindos os teus poemas, o teu trabalho, a tua vida nas asas já de um vento forte...
O beijão do
Wilson Bueno

dionisios ditirambicos said...

O "Universo significou muito antes de que se começasse a saber o que ele significava. (...) ele significou, desde o começo, uma totalidade do que a humanidade podia esperar conhecer a respeito dele" (Lévi-Strauss, 1974:33)

Estrela - estela do saite
esculpida com olhares - piscados.

Clara Vasconcellos said...

Nossa... Adorei! :)

Elias Pacheco said...

Gostei muito do humor dos poemas (principalmente do segundo e terceiro). Isso faz falta em muito poeta.